É incrível como nossos sonhos passam pelos nossos narizes, tão próximos e ao mesmo tempo, tão distantes...
Mais próximo que nossos pés tocados ao chão, mais próximos que o raio de sol ao alcançar esse lindo sistema em que estamos inseridos.
Eu havia tido um lindo sonho, ou ainda o tenho? Não sei lhe dizer caro leitor.
Me recordo de chegar tão próximo de conseguir realizar meu tão sonhado momento.
Me soa tão difícil prosseguir com algo consideravelmente impossível.
Me parece tão assustador não conseguir realizar algo consideravelmente impossível.
Me arde o coração saber que o caminho a ser percorrido é tão árduo.
Me acalma a mente saber que o árduo é recompensado.
Um dia, eu estive tão próxima de um futuro sonhado, do meu futuro sonhado.
Um dia, eu desfilei à frente de pessoas tão importantes.
Um dia, eu convenci meus pais de pagar tanto dinheiro pra ter um sonho realizado.
Um dia, eu fiquei tão aflita esperando os tão sonhados resultados.
Um dia, um dia... perdi as esperanças de que aquilo era pra mim.

Me recordo, me soa, me parece, me arde, me acalma, um dia... mas um dia...
Um dia essa esperança voltou, e está aqui comigo, esperando até ser destruída novamente.
Destruída por alguém que saiba julgar uma boa altura, uma boa beleza, uma boa desfilada, isso é preciso. Sim, isso é preciso.
É preciso desse desafio, desse conflito com seus sonhos, com sua mente, com seu coração, sabe? Aquele que só é um órgão e nada mais.
É preciso que fique mais forte, tente realizar esse tão sonhado momento diversas vezes. Até conseguir ?
Essa pergunta eu não sei responder, ainda não o consegui, ando o buscando, ando me movimentando, procurando tentar torna-lo parte de minha realidade, mas retorno a evidenciar a dificuldade, a arduidade, a certaza que me encontro tão distanciada dessa elite.