O Tantra vai trazer o contexto meditativo para a experiência da sexualidade. Vamos sentir os nossos padrões comportamentais vivos na nossa anatomia, vamos desenvolver todo nosso aparato sensorial para mudarmos a maneira que sentimos no corpo. Vamos aprender a usar a respiração, os movimentos, os sentidos e várias outras ferramentas para nos conectar com a força da energia sexual.

As meditações do Tantra vão ajudar a limpar os conceitos que poluem a vista e entram no caminho no momento de viver a sexualidade. Vão iniciar um processo de desidentificação desses conceitos, trazendo um amadurecimento emocional e uma percepção bem viva de que essas ideias vêm de fora pra dentro. Não é algo que foi criado pela sua experiência de vida, mas algo que pessoas querem que você acredite.

As massagens tântricas (https://redemetamorfose.org/massagem-tantrica) intensificam todo o trabalho de ressignificação da sexualidade, dado o grande volume de energia sexual que movimentam. Sempre em um contexto terapêutico e meditativo. Erotismo aqui não funciona.

Quando trabalhamos o erotismo, estamos ainda mexendo no mundo das fantasias, das expectativas. Ainda estamos vivenciando a energia sexual coordenada pela mente. Precisamos de uma experiência completamente avessa ao que conhecemos para abrirmos espaço para uma transformação. No Tantra feito de forma séria e terapêutica não há espaço para jogos de sedução ou erotismo. Isso desmonta todo o impacto de cura que o trabalho pode ter, pois apenas reforçará os padrões já conhecidos.

Por isso o contexto meditativo é tão importante. É por conta da meditação que a energia acessa outros espaços e o comportamento começa a ser revelado e transformado. Sem a meditação, a massagem tântrica perde muito do seu potencial.

Um dos maiores desafios que os homens passam é conseguir desenvolver uma ereção firme, com o corpo relaxado, sem se estimular mentalmente. É possível e extremamente transformador para o comportamento sexual. Mas é preciso entender que estamos falando de um tratamento, um desenvolvimento sensorial. O corpo está adormecido. Precisamos de treino, de repetição, de práticas que mudem os padrões já arraigados na musculatura, na anatomia toda.