Quando eu me calo existe um mundo berrando em mim. Um mundo de sentimentos confusos que têm medo de aflorar, de sobreviver à flor da pele, envergonhados. Um mundo de incertezas que me dão cada vez mais a certeza de que devemos arriscar. E arriscar, nesse caso, não é pôr tudo a perder; é pôr tudo a ganhar. Aceito empatar.