Não é um momento legal. Em um mundo globalizado, a dependência que criamos em relação a alguns aspectos é inegável. Estamos cada vez mais conectados, inclusos em grupos, exclusos do mesmo; conversamos com pessoas do mundo inteiro, e ao mesmo tempo não conversamos com ninguém. Isso é o século XXI.
A primeira rede social que eu tive contato foi o Orkut, em 2010. Eu não o usava para contatos ou amizades, mas sim para jogar mini fazenda. Na verdade, acho que essa era a prioridade de muita gente naquela comunidade. A segunda que me lembro foi o MSN. Essa sim tinha fins comunicativos. Acho que eu só tinha uns cinco amigos na plataforma. Depois veio o Facebook, em 2012, onde eu implorei para o meu irmão me deixar criar uma conta. Quando eu fiz 11 anos consegui permissão para criar um login que vigora até hoje. Ainda em 2012 eu descobri o Twitter, que inspirou esse desabafo.
Eu criei a minha conta, inicialmente @prostitommos, em 2012, quando tinha 10 anos, prestes a fazer 11. Era uma rede social não tão divulgada na época. Eu lembro que a primeira pessoa que eu segui foi a Selena Gomez. Conforme o tempo foi passando, eu fui me aperfeiçoando mais e mais aquela comunidade. Eu estava por dentro das notícias, imersa nas comunidades que me agradavam... Eu estava em casa. Quando o plataforma me bloqueou algumas horas atrás, bloqueou também todas as memórias que foram depositadas na minha conta. Não era uma simples plataforma, era um local de memórias. Tantos acontecimentos que eu escrevi ali... agora eles não existem mais.

Foram seis anos, e isso é bastante tempo. O @prostitommos se tornou @bluedickens. As escritas sobre One Direction, Shawn Mendes etc. deram lugar a comentários sobre livros, música. Aos poucos eu saí de um fã account para um perfil literário. Aos poucos eu cresci.
Eu compreendo o Twitter. Redes sociais não são um local para crianças. Eu comecei cedo, mas sempre tendo a responsabilidade e consciência do que eu poderia ou não ver. Mas sei que nem toda criança tem supervisão e acompanhamento dos pais. Porém, acho que a plataforma deveria ser mais compreensiva com as contas que já possuem mais de treze anos e que possuem anos de existência na comunidade. Poderia ser mais compreensiva comigo.
Eu estou realmente triste. Pensando sobre criar ou não outra conta, nada vai trazer de volta as memórias que perdi.