Uma noite veio à sua alma o desejo de criar uma imagem d “O Prazer que
durava um Momento”. E ele foi pelo mundo para procurar por bronze. Pois
ele podia apenas pensar em bronze.
Mas todo o bronze do mundo inteiro havia desaparecido, nem existia em
lugar algum do mundo inteiro bronze a ser achado, exceto pelo bronze da
imagem d “O Sofrimento que resistia para Sempre”.
Essa imagem ele mesmo tinha, e com suas próprias mãos, criado, e havia
colocado sobre a tumba da única coisa que ele havia amado na vida. Na
tumba da coisa morta que ele mais amara ele colocou essa imagem criada
por ele, para que servisse como um símbolo do amor do homem que não
morria, e um símbolo da dor do homem que resistia eternamente. E no
mundo inteiro não havia outro bronze, salvo o bronze dessa imagem.
E ele pegou a imagem que ele havia criado, e a colocou numa grande
fornalha, e a deu ao fogo.
E do bronze da imagem d “O Sofrimento que resistia para Sempre” ele
criou uma imagem d “O Prazer que durava um Momento”.