A sensação de que passou um trem por cima de mim tem diminuído. Hoje até arrisquei uma risada. Nada de gargalhadas por enquanto, lá fora ainda é cinza. Chove muito e eu tenho tentado ver o Sol no meio daquele muro de nuvens tristes e chorosas.

Tô buscando os pequenos prazeres. Aquelas simplicidades que passam despercebidas aos olhos apressados. É que a gente não percebe as bênçãos.

Tomei um tigela de açaí caprichada como se fosse o último açaí da Terra. Ouvi Pumped up Kicks, We Come Running e Pompeii, todas me deram vontade de dançar. Dancei. Cantarolei no chuveiro.

Ri da piada do pintinho que não tinha cu, foi peidar e explodiu. Desenhei nos vidros molhados do carro. Mandei beijinho pra mim mesmo no elevador.

Fui pra academia e me senti super vivo. Pensei num amor antigo e não me abalei. Abracei minha mãe. Confesso que dei uma chorada assistindo um filme, mas logo dei outra risadinha singela, porque algo dentro de mim é insistente e diz que a vida não para. O show tem que continuar, vejo um céu azul logo ali. Eu mereço ser feliz, sim!