Quando ela partir, as lágrimas vão inundar a sala, acredite. Meninos não choram até uma mulher de verdade passar que nem furacão na vida.

Cara, ela não está mais na paz de Gandhi, tudo tem um limite, entende?

As coisas não funcionam assim, de você ir, voltar, fazer e acontecer, e ela ficar na dela e aguentar calada. É para mim que ela vem chorar às 3h20 da manhã, com a voz de tequila, reclamando e afirmando que será a última vez. Antes eu ria e achava que era só da boca pra fora, mas, mano, ontem ela estava mais firme do que nunca. Não sei se foi o cabelo novo, a nova tattoo, o disco de Jorge & Mateus novo, as novas amizades ou os novos rumos seguidos, mas algo ali dentro mudou...ufa!

Então, não é querendo fazer terror e nem nada, mas aquela mala na sala diz muito: não haverá espaço para novos erros, novas lágrimas e novos pesos... Ela está leve e vai levar mais do que um violão e um cachorro, talvez teu sossego e deixe uma caixa de arrependimento logo ali na estante.