"Desculpem eu ser eu. Quero ficar só! Grita a alma do tímido que só se liberta na solidão. Contraditoriamente quer o quente aconchego das pessoas." - Clarice Lispector

É difícil ser tímida, entender uma tímida, tentar libertar-se da timidez. Você abre um brecha uma vez, e ela procura fazer morada, e não quer ir mais embora.

Somos aquele tipo de pessoa que cora ao ser elogiada, que não olha nos olhos ao ser olhada, que não fica sem gaguejar ao iniciar uma conversa, - e se iniciar a conversa - que prefere guardar a pergunta do que perguntar, que fica aflita só de pensar que, no dia seguinte, terá um compromisso que envolva: pessoas, conversas e ficar longe do seu porto seguro.

"Ufa!". Tudo isso faz a palma das nossas mãos parecerem cachoeiras intensas, fluidas, que correm por nossos dedos em forma de suor. Não adianta secar no casaco, na calça, na toalha. Parece ser infindável, e isso é apenas o começo.

Falando a verdade...

É unânime! Toda tímida quer ser elogiada, quer ouvir palavras doces dirigidas à elas, quer olhar-se no espelho e dizer: "Hoje eu estou linda!", e ser ouvida por ouvidos ocultos que responderão a este pensamento com o simples elogio: "Uau! Como você está linda hoje!".

Mas... Parece que no momento da ação tudo se torna mais real e mais complexo. (Por que?)

Nossas bochechas coram, a saliva fica densa, pesada e parece que não passará pela nossa garganta, formando um conjunto de medos, ânsias e receios presos em nossa boca. O sangue parece que foge da nossa face e vai parar em nosso pés, mas inexplicavelmente o vermelho toma conta do nosso rosto, e nossas pernas ficam imóveis, sem explicação.

Às vezes, a única coisa que queremos é um manual de instruções que nos ajude a lidar com as mais diversas situações, no entanto, isso está fora do nosso alcance.

A timidez apresenta-se em vários estágios (níveis), e isso varia de pessoa para pessoa. Temos aquele 1% que não faz mal, nos coloca em equilíbrio com nós mesmos, mas há aquele nível de timidez que fica ou passa dos 75% (posso me enquadrar nisso), onde tudo ao nosso redor parece colaborar para sermos consumidas pela timidez.

Não podemos levar 100% da culpa.... Na vida, nos deparamos com experiências, situações e cenas que injetam em nosso cérebro memórias que, muitas vezes, nos tornam introvertidas, sensíveis e temerosas. E a situação fica mais complicada quando as pessoas ao nosso redor não compreendem bem a situação, e acabam nos julgando como fracas, desmotivadas, sensíveis, solitárias e antissociais.

Mas... O que se passa na cabeça de uma tímida quando tudo e todos parecem não compreender a sua timidez? E mais... As situações mais constrangedoras e engraçadas que toda tímida passa!

Obrigada(o) por lerem! A Saga de Uma Tímida continua. Acompanhem!