Senta aqui coração, preciso conversar com você. Sei que você anda cansado, triste e magoado. Sei que já sangrou e já doeu. Senti todas as dores junto com você. Acredite. Sei onde estão todas as suas cicatrizes. Elas me fazem lembrar e refletir muito hoje em dia, sério.
Mas quero bater um papo bem na boa contigo, coração.
Vamos juntar as nossas forças e buscar novos caminhos? Outras histórias, virar a página?

É que o tempo e as circunstâncias me fez ouvir também outra voz que nos ajuda muito. A razão. E, quase sempre, ela nos diz coisas que vem de onde a voz da intuição não alcança, entende?

Eu sei que você é intenso, gosta da entrega. Do aqui e do agora. Sei que você ama além da conta e, se eu deixar, vai me levar pra mergulhar sem rumo pelos mais infinitos dos oceanos. Sei que você é profundo. Sincero. E isso, coração, tem nos feito sofrer muito.

Recentemente, ouvi de uma filósofa contemporânea. “Levanta a cabeça, princesa. Senão a coroa cai”. Então vamos levantar nossa cabeça pra nossa auto estima não cair. Estabelecer como meta isso. A partir de agora, vamos entoar juntos o grito da reciprocidade. Não me segura aqui nessa cama por quem não me quer. Vamos escrever essa intensidade em alegria e diversão por aí.

Seguindo o baile e acreditando que, uma hora ou outra, todas essas cicatrizes que tenho contadas aqui irão ter valido a pena. E não precisa pedir desculpas coração, eu te entendo mais do que você imagina.