Foi bom, foi muito bom. E quando durou não tenho muito do que reclamar. Os sorrisos que eu dei ao lado dele, compensaram todas as lágrimas que ele me fez derramar. Tivemos bons momentos principalmente entre quatro paredes. Ele sabia muito bem o que fazer pra me fazer sorrir e me deixar feliz. Sabia me respeitar como ninguém, e me tocava de uma forma que nunca ninguém me tocou. Conhecia todos os meus pontos fracos e sabia me dar força. Mas infelizmente, por descuido meu ou talvez por descuido dele, fomos nos perdendo, fomos nos afastando, brigando mais e se importando cada vez menos. Não sei explicar em que momento tropeçamos e largamos as mãos um do outro. Mas eu sei explicar muito bem em que momento ele soube me ganhar, soube me conquistar, de tal forma que até hoje quando lembro dele o coração acelera. Mas hoje eu olho pra trás e tenho a certeza que não teve um culpado - até porque procurar culpados após um término, é pura tolice. Hoje eu olho pra trás e percebo que definitivamente não era pra ser. Foi bom, a experiência valeu, os sorrisos foram sinceros e os elogios também. Eu tentei, ele tentou, nós tentamos, mas não deu. E isso é normal, nem todos que se amam estão juntos, e nem todos que estão juntos se amam.