Eu lembro-me de ti. Com todos os detalhes. Todos os pormenores.
Mas tu, não te lembras de mim.

Fui irrelevante, uma presença insignificante.
Será que entendi mal as tuas interacções ao início? Será que eras mesmo assim? Será que eu era só uma boa companhia? Será que já tinhas a mente ocupada?
Não consegui marcar a diferença. Não fui o suficiente para te cativar a ficar.
Mas tu, tu deixaste a tua marca. A minha mente vai sempre ao teu encontro. Recorda momentos e cria novos.

Só queria que te lembrasses de mim.
Só queria que falasses para mim.

É o meu massacre! Preciso de uma distracção, uma distracção de ti. Porque sei que és impossível, fora do meu alcance.
Não me consigo distrair com nada, nem com ninguém. Tenho que te tirar da minha cabeça!
Já tentei vária vezes perceber o porquê de não te conseguir esquecer. O que é que fizeste ou disseste que me marcou?
Provavelmente nada em especial, simplesmente tu fascinaste-me. Eu sei que parece um exagero. Mas a verdade é que depois de estar semanas sem saber da tua existência, eu contigo a pensar em ti.

Só queria que te lembrasses de mim.
Só queria que falasses para mim.

Pensei dar-te uma alcunha, a "crush do metro", mas não seria justo. Porque essas nós apenas olhamos para a pessoa uma vez e ela desaparece, não há conversa, não há contacto.
Tu foste diferente. Nós conversamos, nós compartilhamos, nós conseguimos conhecer-mo-nos minimamente. Pensava que tínhamos criado uma ligação, por mais pequena que fosse. Mas enganei-me.
Estava totalmente errada.

Só queria que te lembrasses de mim.
Só queria que falasses para mim.

O filme que fiz na minha cabeça, quando foste embora, passou de um leve romance para um pesado terror. Porque, não sei o que me deu, mas a verdade é que isto é demais. Não posso continuar a imaginar coisas que nunca vão acontecer.
Já não espero nada. Nada mesmo.
Gostava que a minha mente aceitasse isso e me desse paz.

Só queria que te lembrasses de mim.
Só queria que falasses para mim.

Só espero que este massacre termine rápido.
Mesmo consciente de que isso não vai acontecer, por muito que me afecte o juízo e os nervos, vou continuar a deixar que a minha imaginação nos leve até onde der.

MP

Original : https://fromloli.blogspot.pt/2017/09/mente-acorrentada-unchain-my-mind.html