Preciso de colo

Preciso de braços que me abracem como quem prende e não deixa partir.
Preciso de um consolo, de um abraço acocado.
Onde posso encontrar?
Pensei em ir a São Paulo, no centro-oeste,
Rio Grande ou Grande Rio...
Quem sabe em Teresina ou em Santa Catarina...
Viajar é a resposta ou quem sabe esse abraço está aqui?
Quem sabe o abraçar seja mais do que um ato físico,
Seja um ato de se deixar ficar.
No teu colo eu me embolo,
enrolo, vou ao solo e peço para me amortiçar.
Porque fujo dele e procuro abdicar dessa paz que de ti recebo?
É medo? Medo de pensar na hora que tudo acabar?
Fico somando por medo de desabar.
Me segura e me ensine a não pensar antecipadamente.
Me faz ver que a vida é para se viver no presente,
que viver no antevidente é loucura,
só causa ansiedade e depressão.
Me dispa da minha armadura
e me faça amar sem censura.

(Anjo Eros)