Portuguese and English version
versão português e inglês

check in portuguese :
confira em português:

Cry Baby (álbum)
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cry Baby
Álbum de estúdio de Melanie Martinez
Lançamento 14 de agosto de 2015
Gravação 2013–15
Gênero(s) Pop
Duração 46:38
Formato(s) CD, download digital
Gravadora(s) Atlantic
Produção Kinetics & One Love, Christopher J. Baran, Kara DioGuardi, Kyle Shearer, Daniel Weber, SmarterChild, Michael Leary, Michael Keenan, Babydaddy, Michael Miller, Frequency, Aalias
Cronologia de Melanie Martinez
Dollhouse
(2014)

Singles de Cry Baby

"Pity Party"
Lançamento: 2 de junho de 2015
"Soap"
Lançamento: 10 de julho de 2015
"Sippy Cup"
Lançamento: 31 de julho de 2015

Cry Baby é o álbum de estreia da artista musical estadunidense Melanie Martinez. O seu lançamento ocorreu em 14 de agosto de 2015, através da Atlantic Records. Entre setembro e dezembro de 2012, Martinez ganhou destaque participando da terceira temporada da edição estadunidense da competição de canto The Voice. Em sua primeira aparição, cantou "Toxic", da compatriota Britney Spears, tendo três dos quatro jurados a querendo em seus times e escolhendo Adam Levine para ser seu instrutor. Ela foi eliminada quando ainda tinham seis pessoas concorrendo no programa, e decidiu compor e gravar músicas para futuros projetos, com as composições e produção principalmente de Kinetics & One Love, o que resultou em seu primeiro extended play (EP) Dollhouse (2014). A cantora começou a trabalhar em seu primeiro disco, cujas canções incorporam gêneros predominantemente alternativos como indie pop e, de acordo com a intérprete, contam a vida da personagem fictícia Cry Baby.

Uma progressão de seu extended play antecessor, o álbum recebeu análises geralmente positivas da mídia especializada, com críticos enaltecendo o conteúdo estilístico do álbum. No campo comercial, o material obteve um desempenho moderado, registrando entrada nas tabelas musicais de países como Irlanda, Nova Zelândia e Reino Unido. Nos Estados Unidos, vendeu 32 mil unidades em sua semana de lançamento, debutando na sexta colocação da Billboard 200 e no topo da Top Alternative Albums. Até setembro de 2015, havia comercializado 54 mil cópias em território estadunidense. Além disso, conseguiu duas certificações, sendo uma de platina pela Recording Industry Association of America (RIAA), e outra de prata pela British Phonographic Industry (BPI).

Três singles oficiais foram lançados a partir do álbum. O primeiro, "Pity Party", foi lançado em junho de 2015 e atingiu a 22ª posição como melhor na tabela musical Alternative Digital Songs, feita pela Billboard. "Soap" foi lançada no mês seguinte como o segundo foco de promoção e alcançou a 12ª colocação do periódico supracitado, entrando também na Pop Digital Songs. Seguiu-se "Sippy Cup", que também registrou entrada na Alternative Digital Songs, onde conquistou o 18º posto como melhor. Para a divulgação de Cry Baby, Martinez lançou um livro em seu site oficial contendo imagens da personagem Cry Baby, fez uma apresentação para o portal do blogueiro Perez Hilton e iniciou a turnê Cry Baby Tour em agosto de 2015, que possuiu concertos agendados no Canadá, nos Estados Unidos e no Brasil.

Índice

1 Antecedentes e desenvolvimento
2 Composição
3 Lançamento e divulgação
3.1 Singles
4 Recepção da crítica
5 Lista de faixas
6 Desempenho nas tabelas musicais
6.1 Posições
6.2 Certificações
7 Créditos e elaboração
8 Histórico de lançamento
9 Referências
10 Notas
11 Ligações externas

Antecedentes e desenvolvimento
Kara DioGuardi (foto) escreveu duas das dezesseis faixas do álbum, contando com a versão deluxe.[1][2]

No quarto trimestre de 2012, Martinez ganhou notoriedade participando da terceira temporada do programa de televisão americano The Voice.[3] Quando estreou, três dos quatro juízes, que eram Adam Levine, CeeLo Green e Blake Shelton, apertaram para ela o botão de escolha. Martinez escolheu Levine para ser seu treinador.[4] Ela teve lançado vários singles das apresentações ao vivo na loja digital do iTunes Store, exclusivamente emitidos pelo programa.[5] Existiram alguns que se destacaram, como a regravação de "Seven Nation Army", que entrou na 10ª posição da loja virtual iTunes Store dos Estados Unidos,[6] e como "Too Close", que entrou na 6ª posição da mesma parada.[7] No começo de dezembro de 2012, Melanie saiu no Top 6 do talent show. Ela comentou com a companhia de mídia Examiner que não iria lançar um álbum após a temporada, mas que iria se inspirar no indie folk para fazer o mesmo.[8] Em 2013, Martinez começou a gravar projetos independentes com sua música.[9][10] Ela lançou seu primeiro trabalho em 2014, Dollhouse, que chegou a quarta posição no Billboard Heatseekers Albums,[11] e teve dois singles, sendo eles "Dollhouse" e "Carousel", e o último esteve nas prévias de American Horror Story: Freak Show'.[12] Durante a promoção desse, anunciou o título do álbum.[13][14]

Martinez começou a escrever canções para o álbum no começo e final de 2013.[9][10] Martinez comentou que a sua composição, logo após a temporada que fez no The Voice, "mudou, com certeza. Eu costumava me inspirar escrevendo com um violão. Não consigo mais tocar violão acústico, só guitarra. Agora sou mais focada em conceitos".[15] Ela compôs a obra toda com o grupo Kinetics & One Love, em Nova Iorque;[16] eles escreveram músicas primeiramente no seu projeto Dollhouse, no qual a cantora descreveu como "bom para caramba, porque eles estavam abertos a experimentar sons de brinquedos por horas, e assistir filmes do Tim Burton nas nossas sessões, antes de escrevermos".[16] No entanto, a cantora fez o disco com outros produtores e escritores, como Kara DioGuardi.[17] Ela comentou que trabalhar com DioGuardi "foi realmente incrível", e também disse estar "ansiosa para trabalhar com ela no futuro".[18] Sobre a seleção de músicas para seu álbum, a cantora afirmou que "havia músicas que eu definitivamente queria no álbum e lá estavam algumas músicas que eram muito semelhantes, por isso depende do conceito e se um conceito foi mais forte do que o outro".[1]
Composição

"Mrs. Potato Head"
Menu
0:00
Demonstração de 30 segundos da faixa "Mrs. Potato Head", uma canção que tem como questão a cirurgia plástica, com a mesma falando sobre "como você pode se arrepender se fazendo em algo que não é".[19] A obra foi bem recebida por críticos especializados.[20][21]
"Training Wheels"
Menu
0:00
Demonstração de 30 segundos da faixa "Training Wheels", uma balada que fala sobre "a entrega do relacionamento".[22]
"Pity Party"
Menu
0:00
Demonstração de 32 segundos da faixa "Pity Party", primeiro single do álbum, a qual teve a escrita inspirada em "ninguém ir a festa de aniversário" da intérprete.[1]
Problemas para escutar estes arquivos? Veja a ajuda.

Cry Baby tem letras contando histórias em cada faixa e é conceitual,[23][22] algo que não esteve em seu primeiro trabalho Dollhouse,[23][20] com Martinez descrevendo o projeto como "uma maneira de superar minhas inseguranças em muitas áreas da minha vida".[16] A cantora afirmou que o disco fala sobre a vida de Cry Baby, uma personagem a qual a mesma inventou e descreveu como "vulnerável, insegura e muito emocional no início da história e como ela experimenta coisas diferentes, ela começa a crescer como pessoa e aprender com suas experiências".[24][16] A faixa de abertura auto-intitulada do álbum, "Cry Baby", possui instrumentação fundida de choros e risadas de bebês reais.[22] A canção é sobre pessoas, incluindo Melanie, que são extremamente sensíveis e tendem a ser desencadeadas facilmente, o que, consequentemente, termina em lágrimas.[25] Segunda faixa do álbum, e primeiro single do extended play de mesmo nome, "Dollhouse" é sobre uma família que parece ser perfeita olhando para fora, ainda que esteja longe disso, bem como as letras dizem: "Ninguém nunca ouve / O papel de parede brilha / Não deixe que eles vejam o que acontece na cozinha";[nota 1][26][27] A continuação do clipe da faixa é "Sippy Cup", terceira canção do álbum, o qual se descobre o que realmente acontece na cozinha.[28] Quarta música do álbum e segundo single do extended play Dollhouse, "Carousel" é uma canção que fala sobre estar perseguindo alguém que nunca vai retribuir o seu amor.[29] Em entrevista a Billboard, Martinez disse que a canção "é sobre eu estar apaixonada por alguém e estar vivendo tudo de novo".[30]

A quinta faixa, "Alphabet Boy", tem um tema adulto utilizando temas infantis como uma metáfora, como na parte "Sempre mirando aviões de papel em mim quando você está por perto".[nota 2] Neste caso, existem brinquedos associados com crianças pequenas, tais como aviões de papel.[31] A bubblegum bass "Soap", escolhida por Martinez como a qual "ninguém pode realmente se relacionar", fala sobre pessoas que se sentiram muito medo de dizer como se sentiam, assim, 'lavaram sua boca com sabão'.[32][33] A balada "Training Wheels", sétima faixa de Cry Baby, foi resenhada para o Portal It Pop! como "a entrega do relacionamento, e como nos privamos de coisas em favor a relação, o que inevitavelmente nos deixa vulneráveis".[22] "Pity Party", uma faixa descrita por Martinez como "mais pop" e composta por Christopher J. Baran e Kara DioGuardi, foi o primeiro single do álbum. Segundo Martinez, a inspiração para fazer a letra da faixa foi a concepção de "ninguém aparecer para minha festa de aniversário".[1] "Tag, You're It", outra faixa pop, fala sobre abuso e pedofilia. O mesmo site que resenhou "Training Wheels", disse que as letras da música são "pesadas" e também que "ela deixa tudo estranho quando canta de forma quase transtornada".[22] A décima faixa do disco, "Milk and Cookies", é uma continuação da nona faixa.[34] "Pacify Her" conta como ela rouba o namorado de uma garota que ela odeia, afirmando nos versos "Garoto cansado anda pelo meu caminho / Segurando a mão de uma garota / Aquela vadia básica finalmente vai embora / Agora eu posso tomar o homem dela".[35][nota 3]

"Mrs. Potato Head" tem como questão a cirurgia plástica, e como você pode se arrepender tentando se fazer em algo que não é.[19] Martinez falou que a inspiração para a escrita foi bonecos, dizendo que "por um longo tempo, todo o visual que eu tinha em minha cabeça era o fato de que você pode puxar peças da face dos brinquedos, e que poderia representar a cirurgia plástica".[16] Última faixa da edição padrão, "Mad Hatter" tem o assunto sendo sobre a personagem Cry Baby "abraçar sua loucura ao invés de questioná-la".[22] Primeira faixa da edição deluxe, "Play Date" fala sobre a arquétipa Cry Baby se sentindo como nada mais do que um amigo para alguém que parece se importar muito pouco com ela, mesmo que eles se reúnam com bastante frequência.[36] A canção tem uma metáfora sexual, como nos primeiros versos "Estamos apenas brincando de pique-esconde / Está ficando difícil de respirar embaixo dos lençóis com você".[nota 4][37] Melanie mencionou "Teddy Bear" em uma entrevista, sendo sobre um urso de pelúcia tentando a matar.[38] Última faixa da deluxe, "Cake" tem o assunto sendo uma relação entre alimentos doces e a relação sexual, respectivamente.[39]
Lançamento e divulgação
Ver artigo principal: Cry Baby Tour
Martinez em apresentação no Brasil, em novembro de 2015, como parte da digressão Cry Baby Tour.

Em 29 de maio de 2015, o vídeo musical do primeiro single do produto foi acidentalmente publicado no YouTube por Martinez.[40] A artista, posteriormente, anunciou que iria fazer uma livestream, para divulgar oficialmente a canção, no Periscope.[41][42] No começo de julho de 2015, afirmou que estava trabalhando com a produtora musical Kara DioGuardi e divulgou as primeiras datas da turnê Cry Baby Tour, que se concentrou na divulgação de Cry Baby,[43] e que teve datas confirmadas entre 26 de agosto de 2015 e 29 de novembro de 2015, passando pelos Estados Unidos, Canadá e Brasil.[1][44] A turnê está tendo uma segunda parte em 2016, com datas confirmadas de 20 de fevereiro até 1 de agosto do ano citado, também passando por alguns países da Europa.[45][46][47] Em 16 de julho de 2015, a intérprete divulgou a capa do álbum, a qual a página Idolator julgou a melhor capa do ano de 2015[48] e a lista de faixas.[49] Em 25 de julho de 2015, pouco antes do lançamento do álbum e para a experiência visual, Melanie colocou em seu site um livro, o qual contém imagens da personagem Cry Baby, que Martinez incorporou no álbum. Estas imagens indicam cada faixa do álbum, em ordem de número;[50] as imagens também existem no encarte do álbum. Mesmo com Cry Baby não recebendo qualquer tipo de divulgação em televisões dos Estados Unidos, ela fez uma aparição no site do Perez Hilton, apresentando "Pity Party" com uma guitarra elétrica, no dia do lançamento do álbum.[51] Em 12 de agosto de 2015, Martinez divulgou o álbum inteiro na edição padrão, em sua conta oficial do SoundCloud.[16]
Singles

"Pity Party" foi lançado como primeiro single do álbum em 2 de junho de 2015.[52] Foi enviada para rádios mainstream em 22 de março de 2016.[53] A canção, composta por Christopher J. Baran e Kara DioGuardi e que contém amostras de "It's My Party", da cantora Leslie Gore,[48] teve seu vídeo musical lançado do mesmo dia e dirigido pela artista e DJay Brawner.[54] Atingiu a 22ª posição na tabela musical da Billboard, "Alternative Digital Songs".[55] "Soap" foi lançado como o segundo single do álbum em 10 de julho de 2015.[56] O mesmo esteve na parada musical "Alternative Digital Songs" na 12ª posição e também para a tabela da "Pop Music Songs".[55] "Sippy Cup" foi lançado como o terceiro single do álbum em 31 de julho de 2015.[57] Ele chegou até a tabela da "Alternative Digital Songs", na 18ª posição.[55]
Recepção da crítica
Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
ABC News 4.5 de 5 estrelas.[58]
Billboard 2 de 5 estrelas.[23]
The Daily Tar Heel (favorável)[59]
Outlet Magazine 9.5 de 10 estrelas.[21]
Popdust.com 4 de 5 estrelas.[60]
Starpulse.com 4 de 5 estrelas.[61]
The New York Times (favorável)[62]
Under the Gun Review 9.5 de 10 estrelas.[63]
Lithium Magazine (favorável)[64]

Allan Raible, da ABC News, deu ao álbum quatro estrelas e meia de cinco, descrevendo-o como "chocante, afeta o registro que vai ficar com você dias após a escuta. Não é para escuta passiva. É um disco pop raro que é ao mesmo tempo cativante, inacreditável e um triunfo artístico".[58] Jason Scott, em Popdust.com, descreveu o álbum como "13 faixas de puro êxtase hipnótico [que] testa os limites absolutos do alt-pop, perfurando e sangrando fora das influências de Leslie Gore e Purity Ring", destacando "Sippy Cup", "Mrs. Potato Head", "Soap", "Cry Baby" e "Alphabet Boy".[60] Thomas Kraus, da Outlet Magazine, comentou que "o tema deste outro lado para Melanie Martinez é muito bem feito. O álbum total é fiel aos seus pontos fortes e faz bem para a maior parte".[21] O escritor do Starpulse, Brent M Faulkner, deu quatro estrelas de cinco, e disse que "é facilmente entre os álbuns mais ambiciosos de 2015. Martinez e companhia merecem crédito pela sua criatividade na concepção do projeto e a capacidade de unir tudo isso".[61] Um revisor da Lithium Magazine, deu ao álbum a nota favorável, dizendo que "de alguma forma, Melanie efetivamente consegue levar a música pop e a dar o tipo de vibração estranha e assustadora geralmente associada com horror punk e metal, mas funciona e funciona bem".[64] Jon Pareles, da The New York Times, comentou que "Martinez criou um pacote experto que não se coíbe do óbvio".[62]

Emma Guido, da Under the Gun Review, também deu sua revisão, dizendo que o álbum "assume uma nova forma de música indie pop que o mundo tem esperado ouvir".[63] Além disso, Jose Valle, do The Daily Tar Heel, colocou o disco como o seu segundo favorito do ano.[59] Jason Lipshutz, da Billboard, foi mais crítico em relação ao álbum, dando-lhe apenas duas de cinco estrelas, afirmando que "Martinez está claramente [se] idealizando dos estilos pop pouco iluminados de Lorde e Lana Del Rey, mas embora sua entrega é delicada, atinge a mesma pose femme fatale, ela não tem a sutileza em suas influências". Ele também disse que o álbum "mostra que Martinez é admiravelmente ambiciosa, mas sua insistência a qual adere a idéia central do álbum deixa-la se contorcendo.

(((ME SIGA!!!)))

check in english ;

Cry Baby (album)
From Wikipedia, the free encyclopedia Jump to: navigation, search
Cry Baby
Melanie Martinez's Studio Album
Launch August 14, 2015
Record 2013-15
Genre (s) Pop
Duration 46:38
Format (s) CD, digital download
Recorder (s) Atlantic
Production Kinetics & One Love, Christopher J. Baran, Kara DioGuardi, Kyle Shearer, Daniel Weber, SmarterChild, Michael Leary, Michael Keenan, Babydaddy, Michael Miller, Frequency, Aalias
Chronology of Melanie Martinez
Dollhouse
(2014)

Cry Baby Singles

"Pity Party"
Released: June 2, 2015
"Soap"
Released: July 10, 2015
"Sippy Cup"
Release: July 31, 2015

Cry Baby is the debut album by the American musical artist Melanie Martinez. Its release took place on August 14, 2015, through Atlantic Records. Between September and December of 2012, Martinez gained prominence participating in the third season of the American edition of the competition of corner The Voice. In her first appearance, she sang "Toxic" by fellow Britney Spears, having three of the four jurors wanting in their teams and choosing Adam Levine to be their instructor. She was eliminated when they still had six people competing in the show, and decided to compose and record songs for future projects, with compositions and production mainly of Kinetics & One Love, which resulted in her first extended play (EP) Dollhouse (2014). The singer began work on her first album, whose songs incorporate predominantly alternative genres such as indie pop and, according to the singer, tell the life of the fictional character Cry Baby.

A progression from its predecessor extended play, the album received generally positive reviews from the specialized media, with critics extolling the stylistic content of the album. In the commercial field, the material performed moderately, recording entries in the musical charts of countries such as Ireland, New Zealand and the United Kingdom. In the United States, it sold 32,000 units in its debut week, debuting at No. 6 on the Billboard 200 and at the top of Top Alternative Albums. By September 2015, it had sold 54,000 copies in the United States. In addition, it obtained two certifications, one of platinum by the Recording Industry Association of America (RIAA), and another of silver by British Phonographic Industry (BPI).

Three official singles were released from the album. The first, "Pity Party," was released in June 2015 and reached # 22 on the Billboard chart of Alternative Digital Songs. "Soap" was released the following month as the second focus of promotion and reached the 12th place of the aforementioned newspaper, also entering the Pop Digital Songs. It followed "Sippy Cup", which also recorded entry in Alternative Digital Songs, where it conquered the 18th place as the best. For the release of Cry Baby, Martinez released a book on his official website containing pictures of the character Cry Baby, made a presentation to blogger Perez Hilton's portal and started the Cry Baby Tour tour in August 2015, which hosted concerts scheduled in Canada , in the United States and Brazil.

Index

1 Background and development
2 Composition
3 Release and dissemination
3.1 Singles
4 Critical reception
5 List of tracks
6 Performance in the musical tables
6.1 Positions
6.2 Certifications
7 Credits and drafting
8 Release history
9 References
10 Notes
11 External links

Background and development
Kara DioGuardi (photo) wrote two of the sixteen tracks of the album, counting on the deluxe version. [1] [2]

In the fourth quarter of 2012, Martinez gained notoriety participating in the third season of the American television program The Voice. When it debuted, three of the four judges, who were Adam Levine, CeeLo Green and Blake Shelton, pressed the button of choice. Martinez chose Levine to be his coach. [4] She has released several singles from the live performances at the iTunes Store's iTunes Store, exclusively issued by the show. There were a few that stood out, such as the re-recording of "Seven Nation Army," which came in 10th in the US iTunes Store, [6] and "Too Close," which came in 6th on the same chart. 7] In early December 2012, Melanie came out on the Top 6 of the talent show. She commented with media company Examiner that she would not release an album after the season but that she would be inspired by indie folk to do the same. In 2013, Martinez began recording independent projects with his music. [9] [10] She released her first work in 2014, Dollhouse, which reached number four on the Billboard Heatseekers Albums, and had two singles, being "Dollhouse" and "Carousel", and the last one was in the previews of American Horror Story: Freak Show '. [12] During the promotion of this, announced the album title. [13] [14]

Martinez began writing songs for the album at the beginning and end of 2013. [9] [10] Martinez commented that its composition, just afterthe season he did on The Voice, "changed, for sure.I used to inspire myself by writing with a guitar.I can no longer play acoustic guitar, just guitar.Now I am more focused on concepts." She composed the entire work with the Kinetics & One Love group in New York; [16] they first wrote songs in their Dollhouse project, which the singer described as "good for damn, because they were open to experiencing toy sounds by hours, and watching Tim Burton's movies in our sessions before we write. "[16] Nevertheless, the singer made the disc with other producers and writers, like Kara DioGuardi. She commented that working with DioGuardi "was really incredible," and also said she was "looking forward to working with her in the future." [18] Regarding the selection of songs for her album, the singer stated that "there were songs that I definitely wanted on the album and there were some songs that were very similar, so it depends on the concept and if one concept was stronger than the other." [1] Composition "Mrs. Potato Head" Menu 0:00 30-second demo of the "Mrs. Potato Head" track, a song that deals with plastic surgery, with the same talking about "how can you regret doing something it is not. "[19] The work was well received by specialized critics. [20] [21] "Training Wheels" Menu 0:00 30-second demonstration of the "Training Wheels" track, a ballad that talks about "delivery of the relationship." [22] "Pity Party" Menu 0:00 32-second demo of the track "Pity Party", the first single from the album, which had the writing inspired by "no one going to the birthday party" of the performer. Problems with listening to these files? See help. Cry Baby has lyrics telling stories in each track and is conceptual, something that was not in his first work Dollhouse, with Martinez describing the project as "a way to overcome my insecurities in many areas of my life. "[16] The singer said the album talks about the life of Cry Baby, a character she coined and described as "vulnerable, insecure and very emotional at the beginning of the story and how she experiences different things as she begins to grow as a person and learn with their experiences. "[24] [16] The self-titled opening track of the album, "Cry Baby", features fused instrumentation of choros and laughter of real babies. The song is about people, including Melanie, who are extremely sensitive and tend to be unleashed easily, which consequently ends in tears. [25] The second track on the album, and the first extended-length single of the same name, "Dollhouse" is about a family that seems to be perfect looking out, even if it's far from it, as the lyrics say, "No one ever listens. "[26] [27] The continuation of the clip of the track is" Sippy Cup ", third song of the album, which one discovers what really happens in the kitchen. [28] Fourth song from the album and second single from the extended play Dollhouse, "Carousel" is a song that talks about being chasing someone who will never reciprocate your love. In an interview with Billboard, Martinez said that the song "is about me being in love with someone and living all over again." [30] The fifth track, "Alphabet Boy," has an adult theme using children's themes as a metaphor, as in the "Always aiming paper airplanes at me when you're around." [Note 2] In this case, there are toys associated with children such as paper airplanes. [31] The bubblegum bass "Soap", chosen by Martinez as "no one can really relate", talks about people who were too scared to say how they felt, so they "washed their mouths with soap." [32] [33] ] The song "Training Wheels", seventh track of Cry Baby, has been reviewed for the It Pop Portal! as "the delivery of the relationship, and how we deprive ourselves of things in favor of the relationship, which inevitably leaves us vulnerable." [22] "Pity Party", a track described by Martinez as "more pop" and composed by Christopher J. Baran and Kara DioGuardi, was the first single from the album. According to Martinez, the inspiration for making the lyrics of the track was the idea of ​​"no one show up for my birthday party." [1] "Tag, You're It", another pop track, talks about abuse and pedophilia. The same site that reviewed "Training Wheels," said the lyrics of the song are "heavy" and also that "she makes everything strange when she sings in an almost upset." The tenth track, Milk and Cookies, is a continuation of the ninth track. [34] "Pacify Her" tells how she steals the boyfriend of a girl she hates, stating in verses "Tired boy walks my way / Holding a girl's hand / That basic bitch is finally gone / Now I can take her man" . [35] [note 3] "Mrs. Potato Head" is about plastic surgery, and how can you be sorry

(((((((FOLOW ME)))))