Um dia você vai querer ter um filho, eles diziam e eu negava em silêncio apenas em um manear de cabeça.
Eu negava em silêncio porque desde cedo fui ensinada a não contrariar.
Fui criada a não aceitar o sexo casual.
Eu fui treinada para ser a esposa perfeita.
Que cuidava dos filhos enquanto o marido trabalhava.
Mas eu queria pedir desculpas, não era aquilo que eu queria.
Eu tinha apenas 17 anos quando eles me pegaram pelos os braços e me fizeram de trapo, tirando os farrapos da lingerie que ainda me restava.
Eu fui doutrinada a encontrar um homem rico, que me desse boas condições de vida e não um amor verdadeiro.
Quando nasci eles já diziam que eu tinha que ser o orgulho da família, nunca reclamar e só sorrir independente do que falavam.
Aos 18, por lei eu tinha liberdade, controle da minha vida.
Era tudo o que eu queria se eu não tivesse sem vida.
Foi doloroso por um momento, mas logo passou porque eu tinha sido forte até aquele momento, mas agora eu estava livre, espero que quando eu seja colocada nesse mundo de novo eu tenha uma alma tão livre quando a de um pássaro e que a única corrente que me prenda seja os braços de uma pessoa que me ame verdadeiramente.