"Porque o senhor me escolheu?
Se quem tinha que escolher era eu
Se carregava ou não o fardo de ter que ser um dos seus
Não sou rosa, não sou pura
Não sou dele, não sou sua
Meu caminho tem mais espinhos que a própria rosa nua
Na rua vago me fazendo perguntas
Puxo, paro, e penso
A vida curta, a chance é única"