Hajj, a peregrinação que atrai milhões a Meca
Muçulmanos de todo o mundo dirigem-se à cidade da Arábia Saudita para um dos mais importantes ritos do islamismo. Neste ano, o evento tem grande significado político. Entenda.

A Festa do Sacrifício, também conhecida como Grande Festa, ocorre durante o Hajj (peregrinação à Meca) e é considerada uma das festas mais tradicionais da cultura muçulmana. Sua comemoração se dá a partir do 10º dia referente ao mês Dhu al-Hijjah, que finda o Calendário islâmico (Dhul Hijjah). Com duração de 4 dias, a festa é comemorada pelo povo muçulmano em várias regiões do mundo, pois é uma homenagem ao sacrifício de Ismael, filho do profeta Ibrahim, seguindo a vontade de Alá.

A Grande Festa é realizada após os 70 dias do Ramadã, interligando-se ao Hajj e ao Eid al–Fitr, celebração muçulmana que marca o fim do jejum do Ramadã. Durante o Eid al-Adha (que nada mais é do que a celebração do sacrifício), troca-se presentes e um animal é sacrificado numa aldeia de nome Mina, localizada entre a Meca e Arafat. Depois, familiares dividem a carne entre si e com alguns pobres. A regra obrigatória é que o animal a ser sacrificado seja macho, saudável e esteja da idade adulta. Nesta festa também podem participar os fiéis que não estão peregrinando.