Mais uma vez acontecia, Jinhwan chorava lágrimas de raiva, novamente pelos mesmos motivos. Sempre seriam os mesmos detalhes que chamara atenção dos demais.

Sua altura.

Seu porte físico.

Sua voz.

Suas feições delicadas.

E sua pinta abaixo do olho direito que tinha mera semelhança com um coração. Esta de fato era a que ele mais odiava em si, apesar de ter outras espalhadas pela epiderme, esta em específico ficava exposta e era razão de chacota.

Para muitos, aquele pequeno ponto era um charme, mas para Jinhwan era uma vergonha. Estava ali agora, encolhido em sua cama, debaixo dos cobertores com os olhos inchados e a fronha molhada. Sentiu o celular vibrar e o pegou, mas mal conseguia enxergar a tela. Com a vista embaçada limitou-se a atender o aparelho sem saber ao certo quem era.

- Alô? - sua voz saiu trêmula e embargada pelo choro.

- Jinan, porque faltou a aula? Você está bem? - reconhecera o timbre.
- June~ E-Eu não aguento mais... Eu tentei ignorar, mas não consigo. - dizia voltando a chorar.

- Calma, apenas me espere. Eu já estou indo, ok?

- T-tá. - passou-se alguns minutos e o mais alto já chegava na casa do outro, entrou usando a chave reserva e foi direto para o quarto. Aproximou-se devagar da cama e sentou-se ao lado tocando suavemente os fios alheios, este que se virou para fitá-lo.

- Calma, estou aqui. O que houve meu amor? - o menor sentou-se na cama empurrando os cobertores pesados e pondo-se de joelhos abraçou desajeitadamente o maior.

- June~. - voltou a chorar e soluçar enquanto sentia os braços fortes lhe cercar e abrigá-lo no calor confortável que emanava do outro corpo.

- Shhhiii... Está tudo bem agora. Não se preocupe, estou aqui ok? - puxou-o para seu colo aninhando-o como uma criança, ficaram assim por longos minutos até o menor se acalmar, aos poucos o maior lhe fazia carinhos e cócegas o que resultou no som que ele mais gostava de ouvir, a risada do menor.

- P-Para June... Eu não consigo respirar. - dizia entre as risadas. Afastou-se minimamente apenas para encarar o rosto do maior e sorrir.

- Assim está bem melhor. - limpava os resquícios de lágrimas - Já lhe disse para não dar ouvidos, você é lindo. - suspirou - Sabe que eu amo você e não mudaria nada, simplesmente por você ser perfeito do jeito que é.

- June, eu não sou perfeito. - fez um bico triste.

- É sim... Perfeito para mim. - selou os lábios e a testa do menor fazendo-o sorrir - Vem, vou te dar um banho. - puxou o outro pela mão guiando-o até o banheiro e ligando a torneira para encher a banheira. Enquanto isso foi até o menor e começou a despi-lo, revelando a pele alva, macia e aqueles sinais que o outro insistia em rejeitar, mas aos seus olhos o tornavam o mais belo anjo. Levou-o à banheira e o banhou com cuidado e sutileza, e depois, tratou de gentilmente envolvê-lo na toalha e começar a secar, e teria conseguido terminar se não fosse pelas delicadas mãos de Jinhwan tocando seu rosto, fazendo-o encarar antes de aproximar de si e unir os lábios em um ósculo intenso. Junhoe elevou suas grandes mãos até sua cintura e o menor envolveu a sua com as pernas, com passos incertos retornaram para o quarto e ali o menor foi posto com cuidado sobre a cama, ele sempre teria cuidado com o outro, sempre o trataria com carinho. No fundo, Junhoe só queria que o outro percebesse o quão lindo era, assim como ele mesmo o via.

Colocou-se de joelhos sobre a cama e começou a distribuir beijos no corpo alheio, mas não em qualquer parte, ele selava os sinais com carinho, querendo transmitir seus mais profundos sentimentos. Selou dos pés ao pescoço, ouvindo alguns muxoxos e arfares tímidos e ao olhar para o amado viu sua face corada e sorriu. Não eram preciso palavras pois seus olhares já diziam tudo, assim o maior aproximou-se e beijou aquele ponto abaixo do olho, logo sussurrando ao pé do ouvido um 'Eu te amo'.

Nesses momentos Jinhwan não sentia-se mais inseguro, apenas aceitava aquela explosão de sentimentos que o outro lhe proporcionava, ele sentia-se bem com as palavras proferidas pelo maior, assim os lábios tocaram-se intensamente, as mãos deslizavam as peças de roupa atirando-as para longe e os corpos se uniam, então Junhoe pode mostrar novamente o quanto amava aquela constelação.