Li sobre o amor, antes mesmo de encontrar uma definição para um sentimento tão vasto
Não era real
Não entendi

Em algum momento minhas leituras se tornaram íntimas,
O sentimento não

Em uma tarde qualquer tentei experimentar
Em um beijo qualquer, falhando em despertar
Sem sabor, sem amor, (sem) você

Curiosa é a persistência exaustiva, de procurar qualquer intensidade
Qualquer tênue ilusão para provar que estou viva,
Que não há absolutamente nada de errado aqui

E realmente não há, amor. O problema era a ausência, a sua
Pois veja bem, um beijo não é completo se seus lábios estão longes dos meus
Eu não sou completa sem você

Aos vinte anos te encontrei, mas éramos tão cruas para a vida
Aos trinta te reencontrei, com outras cicatrizes, inclusive a nossa
Vazios, um rasgo imenso. Eu, destituída de esperança
Você. Inundando minha alma
De novo e de novo e de novo

Cativante, exigindo meu afeto sem pedir nada
E por fim, enfim e eterno, nosso primeiro beijo
Com sabor de único, calor e amor entrosados em forma de afago

Você é minha, sempre fui sua
Tudo está perfeitamente acomodado
Com(o) um cafuné antes de dormir
E eu amo você