Lembro-me vividamente das noites em que ficava olhando o céu, imaginava como seria. Refazia outra vez em minha mente cada detalhe de como queria que fosse, desde nossos diálogos, risadas á sonhos e planos. Montava inúmeras situações e como reagiria a cada uma. Sentia-me incompleta em cada canto do meu ser e sabia com toda certeza que logo ele viria pra me salvar e completar a metade que me faltava.

Olhar para céu era uma forma de tê-lo mais perto, aquele infinito de estrelas num mar negro me fazia sentir perto dele, perto de casa. Em minha mente eu desenhava seu rosto, cada traço do que eu achei que merecia. Um príncipe. Sim, eu ansiava por alguém, alguém que seria meu verdadeiro e único amor. O primeiro, porque sempre tive a certeza que meu primeiro amor também seria o único.

Acredito que aos 15 tudo seja romântico demais, e bom, eu deixei de esperar. Deixei de acreditar que ele viria pra me salvar. Mal sabia eu que antes mesmo de conhecê-lo Ele já havia me salvado.
Sim, Ele veio.

Hoje eu sei que ao olhar para céu e sentir estar perto de casa nada mais era do que a minha alma me dizendo de onde eu vim, pra onde vou e de quem eu sou. As vozes do mundo por um momento falaram mais alto e me fizeram desistir. Mas, cada pensamento, cada pedido que fiz olhando para céu foram ouvidas pelo dono do céu.

Eu buscava por alguém que chegasse e mudasse tudo em mim, por mim.
Eu estava perdida e fui encontrada.
Não por um príncipe, mas por um Rei. O Rei. Não porque eu merecia, mas porque Ele me amou.

Ele chegou e mudou tudo em mim, por mim.

— Camilla Gomes.