Há uma sensação que me domina o tempo todo.
Que se intensifica todas as noites.
E quando me deito,
entre um bocejo e outro,
entre a preguiça e um meio sorriso
(quando penso em você).

Te quero na minha cama.
Te quero com seus abraços justos e seus beijos
(todos eles: doces, suaves e brutos).
Te quero por completo.
Te quero desde a promessa de um beijo,
te quero antes disso:
desde as madrugadas aleatórias de conversas francas,
nossos pequenos infinitos.

Te quero agora,
quando penso nas minhas mãos em você.
Seu corpo. (N)o meu.
Te quero tanto que me toco,
estou quente e úmida,
quando meus dedos forçam entrada,
é a ponta dos seus dedos que eu sinto.

Sua presença é tão real
que meu corpo reage,
meu coração se acelera,
minha respiração se altera
e sinto um arrepio tão intenso e certeiro
que poderia até ser minha alma,
vibrando.

Não existe desejo mais intenso,
mergulho em pensamentos vivos e eróticos,
apaixonados.

Percebo que meu corpo é seu,
meu coração é seu.

Minha imaginação flutua,
perco o controle,
me escapa um gemido.

É você,
que me devora por completo.

De movimentos lânguidos até o ritmo impaciente.
Nada mais importa.
Sou sua e quero você.